×

Paróquia Diocese

Paróquias

Aula Inaugural do curso de Teologia da Escola Diaconal marca aniversário da Diocese de Divinópolis

sexta-feira, 18 de maio de 18 às 13:03 | Atualizado às 18:20
Aula Inaugural do curso de Teologia da Escola Diaconal marca aniversário da Diocese de Divinópolis

A Diocese de Divinópolis foi criada no dia 11 de julho de 1958, pela bula “Qui a Christo”, do Papa Pio XII, foi desmembrada da Arquidiocese de Belo Horizonte e da diocese de Luz. A instalação aconteceu no dia 17 de maio de 1959, quando foi sagrado o seu 1º Bispo Diocesano, Dom Cristiano Frederico Portela de Araújo Pena, que renunciou ao governo da diocese no dia 26 de março de 1979. O 2º bispo foi Dom José Costa Campos, transferido da Diocese de Valença-RJ, que tomou posse no dia 20 de maio de 1979 e renunciou em 05 defevereiro de 1989. Dom José Belvino, 3º bispo da diocese, tomou posse no dia 11 de junho de 1989, um mês após o Papa divulgar sua transferência. Dom José Belvino  renunciou no dia  11 de fevereiro de 2009. O 4º bispo, Dom Tarcisio Nascentes dos Santos, tomou posse no dia 17 de maio de 2009, e, no dia 01º de agosto de 2012, foi transferido para a Diocese de Duque de Caxias - RJ. No dia 25 de maio de 2014, aconteceu a ordenação episcopal e posse canônica do 5º bispo da diocese, Dom José Carlos de Souza Campos.

 

Neste ano de 2018 a Diocese celebra 59 anos de instalação. Para celebrar esta data, Dom José Carlos presidiu a Eucaristia, na Catedral Diocesana, com a presença dos jovens da Paróquia do Divino Espírito Santo que irão receber o sacramento da Crisma no próximo domingo e com os candidatos ao diaconato permanente da nossa diocese. A Santa Missa foi concelebrada pelos padres Luis Carlos Amorim, Washington Batista, Carlos Antônio, Rafael Caetano, Braz Rabelo, Lúcio Camargos, Adelmo Sérgio, Marcelo Francisco e José Raimundo Bechelaine.

 

Dom José Carlos iniciou sua homilia falando um pouco do aniversário da Diocese de Divinópolis, destacando dois paramentos litúrgicos que ele mesmo usou para fazer memória da data: a Cruz Peitoral e o Báculo Pastoral usado por Dom Cristiano no dia de sua Ordenação Episcopal e de instalação da Diocese. O bispo também falou do Ano Jubilar que a Diocese vai começar a viver no próximo dia 11 de julho.

 

 

A programação do Jubileu de Diamante da Diocese de Divinópolis será divulgada nos próximos dias, aqui, em nosso Portal Diocesano de Notícias. Fique Ligado!

 

Após a celebração Eucarística, aconteceu, na Quadra do Lar dos Idosos, próximo à Catedral, a Aula Inaugural do Curso de Teologia da Escola Diaconal da Diocese de Divinópolis. A aula foi ministrada pelo Fráter Henrique, que, na oportunidade, falou da história do Diaconato Permamente. Atualmente, a Diocese conta com 33 condidatos ao diaconato permanente.

 

Em entrevista,  Fráter Henrique falou da novidade em nossa diocese chamada Diaconato Permanente; ouça: 

 

 

O Diaconato Permanente

 

O ministério eclesiástico, que é o ministério dos homens dedicados ao serviço de Deus, compreende três diferentes graus do sacramento da ordem sacerdotal: os bispos, os sacerdotes e os diáconos. Dois destes graus participam ministerialmente do sacerdócio de Cristo: a ordem episcopal, correspondente aos bispos, e a ordem do presbiterado, correspondente aos padres. A ordem do diaconato, segundo o Catecismo da Igreja Católica (n. 1554), destina-se a ajudar e a servir os bispos e presbíteros. Por isso, o termo "sacerdote" designa os bispos e presbíteros, mas não os diáconos.

 

Diakonia é a palavra grega que define a função dos diáconos. Esta palavra significa serviço, e é de tanta importância para a Igreja, que se confere por um ato sacramental chamado "ordenação", ou seja, pelo sacramento da Ordem.

 

Desde o Concílio Vaticano II, a Igreja latina restabeleceu o diaconato como um grau particular dentro da hierarquia, enquanto as Igrejas do Oriente sempre o mantiveram assim. Dessa forma, os homens casados que se dedicam a ajudar a Igreja, por meio da vida litúrgica, pastoral ou nas obras sociais e caritativas podem se fortalecer recebendo a ordem do diaconato, unindo-se, mais intimamente, ao altar, para cumprir seu ministério com maior eficácia, por meio da graça sacramental do diaconato.

 

 

 

A história do Diaconato Permanente na Diocese de Divinópolis

 

A Comissão Diocesana para o Diaconato Permanente criada pelo Bispo Diocesano, Dom José Carlos, para os passos iniciais do processo de implantação do Diaconato Permanente no clero diocesano, reuniu-se na casa paroquial da Paróquia de São Sebastião, de Juatuba, no dia dia 29 de outubro de 2016, às 09h30. Estavam presentes: Pe. Gilmar Pinheiro Marques, Pe. Émerson Cunha, Mons. Antônio Ordones Lemos, Pe. Daniel Leão, Pe. Amarildo José de Melo e Pe. J. Raimundo Batista Bechelaine.

 

Tendo todos os citados lido e estudado o Documento 96, da CNBB: “Diretrizes para o Diaconado Permanente da Igreja no Brasil – Formação, Vida e Ministério”, concluiu-se não ser necessária nem oportuna a elaboração, neste momento, de um texto próprio sobre o tema. Pois constata-se que o Documento 96, da CNBB, já incorpora e sintetiza, em linguagem simples e objetiva, tanto os pronunciamentos do Magistério e estudos sobre o assunto, como os resultados práticos extraídos das experiências já em andamento e as consequentes instruções para ação. Assim sendo, ele atende às necessidades de orientação que temos no atual momento. Portanto, decidiu-se que a Diocese de Divinópolis adota,integralmente, nesta etapa, o citado Documento 96. Na medida em que se fizer necessário, acréscimos ou adaptações pontuais à realidade local poderão ser feitos, mantendo-se o espírito da citada publicação.

 

O passo seguinte foi a indicação dos candidatos feitos pelos padres. Para dar início ao processo vocacional da primeira turma de possíveis candidatos, ficaram estabelecidos, em transcrição quase totalmente literal do Documento 96 (Cf. pp. 58-62 e 45-46), o perfil, critérios e princípios pré-estabelecidos na dimensão familiar, pessoal, eclesial e comunitária.

 

No ano de 2017 começaram os encontros mensais de formação dos candidatos ao diaconato permanente. Estes encontros foram realizados no Seminário Propedêutico, em Itaúna. No final do ano, a equipe de formação se reúniu com as esposas dos candidatos, e tiveram oportunidade de falar da importância da família para o ministério diaconal. A equipe também conversou, em particular, com cada esposa.

 

E, agora, em 2018, os 33 candidatos que permaneceram na caminhada vocacional começaram a fazer o curso superior de Teologia, na Faculdade dos Claretianos. 

 

 

POR TÚLIO VELOSO

 

 

Notícias Relacionadas

24 fev 15
20 set 19
22 mar 17
10 set 20

Parceiros