×

Não há situação que não possa ser mudada, pelas mãos do Bom Jesus: Paróquia do Niterói, em Divinópolis, completa 65 anos de evangelização

quarta-feira, 01 de janeiro de 20 às 10:10 | Atualizado às 18:14
Não há situação que não possa ser mudada, pelas mãos do Bom Jesus: Paróquia do Niterói, em Divinópolis, completa 65 anos de evangelização

O Santuário do Senhor Jesus no bairro Niterói em Divinópolis, completa no dia 31 de dezembro, 65 anos em que o Templo foi decretado Paróquia.

 

Mas essa belíssima e rica trajetória de fé, que já passa do seu cinquentenário, carrega muitas outras histórias que vem sendo construídas desde a década de 40 onde tudo era apenas uma capela.

 

Histórias que marcaram vidas, décadas, gerações, como desta que aqui vos escreve. Momentos de espiritualidade, milagres, fatos que mudaram o rumo e um caminho que até então parecia sem saída. Jovens, adultos, crianças, família, não há aquele que por lá não tem passado e uma prece ao Bom Jesus não tenha elevado.

 

 

A religiosidade e a fé fecunda daquele povo, mudou não apenas a vida, mais a história de um bairro, de uma cidade. Não há quem passe pela histórica “Ponte do Niterói”, caminho de desabrochar do Rio Itapecerica e logo não vislumbre a torre do Bom Jesus. Tenho certeza que em algum momento você já passou por ali.

 

E é sobre essa história cujo futuro vamos ajudando a construir, que você confere nas próximas linhas. Tenho certeza que irá se emocionar com a fé a luta de um povo que jamais perdeu a esperança no Bom Jesus.

Fachada atual do Santuário Senhor Bom Jesus

 

Evangelização e caridade: pilares que marcaram uma história de fé

 

É preciso entender além da construção de tijolos, mas a essência que traz todo o contexto histórico e que vem ajudando a construir o que não é somente uma Paróquia, mas um Santuário. Podemos dizer sem erro, que o Niterói nunca mais foi o mesmo, desde que um pequeno grupo de fiéis se reuniu em volta daquela humilde capela. Romeiros, visitantes, moradores, jamais perderam a fé no misericordioso Bom Jesus, cujo os braços estarão sempre abertos para acolher.

 

 

A Paróquia do Senhor Bom Jesus (31/12/1954), é a quarta mais antiga de Divinópolis. A primeira delas é a Paróquia do Divino Espirito Santo (03/04/1839), a segunda é a Paróquia de Santo Antônio no distrito de Santo Antônio dos Campos (01/01/1936) e em seguida a Paróquia do Santuário de Santo Antônio (30/12/1944), dirigida pelos frades franciscanos.

 

Para termos ideia do que hoje é a dimensão e riqueza do Santuário Senhor Bom Jesus, é preciso resgatar na história a partir da década de 40, quando tudo era apenas uma capela e cujo o vigário responsável pelo templo de oração, era o pároco da Catedral. Todo o complexo religioso da cidade naquela época, pertencia a Arquidiocese de Belo Horizonte. A Diocese de Divinópolis foi criada somente em 17 de maio de 1959.

 

Onde tudo começou: pela fé de um povo, um Templo ali se ergueu

 

Antes de ser o que hoje conhecemos como Santuário do Senhor Bom Jesus, devemos ressaltar a pequena e simples capela onde tudo começou, lugar de muita devoção e peregrinação de fiéis. Mesmo com todas as dificuldades de uma cidade que estava em construção e refletia nos primeiros bairros como o Niterói e Porto Velho, os moradores jamais perdiam sua fé e a religiosidade era bem fecunda.

 

Não se sabe ao certo quando tudo começou, mas um grande fato é que em 23 de fevereiro de 1940, já meditava a Via Sacra naquela capela. Segundo relatos de moradores, as celebrações eram presididas 8h aos domingos, com a ajuda dos frades franciscanos. Já havia catequese, ministrada por quatro catequistas e frequentada por cerca de 200 crianças.

 

Ambas as fotos referem-se a Capela do Senhor Bom Jesus de 1938  Ambas as fotos referem-se a Capela do Senhor Bom Jesus de 1938

 

As festividades do Jubileu do Senhor Bom Jesus também já se realizavam nessa época com muito entusiasmo, e assim como é hoje, acontecia no mês de setembro. Eram quinze dias de festa, recitação diária do Santo Terço, pregações semanais, novenários, barraquinhas e leilões em benefício da construção de uma Igreja. Esse já era o anseio de todos que ali frequentavam, pois a simples e aconchegante capela, já estava pequena para comportar o número de fiéis que só aumentava.

 

“De ano a ano aumenta a devoção ao Bom Jesus, melhor meio de chamar o povo à Igreja. O Jubileu foi criado para dar ao populoso bairro uma capela mais ampla”. (Trechos de documentos escrito por moradores)

 

Luta, trabalho e fé: a dedicação de um povo pela construção do Bom Jesus

 

Em 1947, o Arcebispo Dom Antônio dos Santos Cabral, realizou uma visita pastoral a capela e mediante as dificuldades que encontrou e o anseio daquele grupo, autorizou a construção da Igreja. Há relatos de moradores, que o terreno para a construção da Igreja foi uma doação da Santa Casa de Misericórdia.

 

Iniciaram-se então as obras com a direção dos trabalhos do Sr. José Fernandes Carrilho. Em 1948 houve uma modificação na planta para dar maior riqueza arquitetônica. Tudo foi sendo elevado, tijolo a tijolo, com muita simplicidade mas com espirito de equipe, exemplo de um verdadeiro povo de Deus, doação e amor não faltavam aos paroquianos que se empenhavam a ajudar.

 

      

 

  

 

Uma figura importante na história de toda a Paróquia, foi o Sr. José Olímpio da Fonseca, nos tempos da construção organizava barraquinhas e leilões para conseguir doação.

 

Em 8 de dezembro de 1949, foi realizado a 1ª Comunhão na Igreja do Niterói, sendo um total de 48 crianças. Já em 1º de abril de 1951, com a presença de 2 mil pessoas, foi conduzido o Santíssimo Sacramento para a Igreja.

 

E a união dos fiéis construiu não apenas Igreja, mas a Paróquia do Senhor Bom Jesus

 

O novo templo de oração era agora Igreja do Senhor Bom Jesus, sob responsabilidade do Pe Cristiano Pena. Vendo uma dificuldade de conciliar as atividades paroquiais e atender a população dos bairros Niterói e Porto Velho, foi consentido a ele através do Arcebispo de Belo Horizonte, a instalação da Paróquia do Senhor Bom Jesus. O consentimento e os tramites legais, deram início em agosto de 1954.

 

 

Em 31 de dezembro de 1954, através do Decreto nº 83, Dom Cabral concretizou a criação da Paróquia do Senhor Bom Jesus de Divinópolis. Foi nomeado seu primeiro pároco, Frei Carlos de São José, que tomou posse em 1º de janeiro de 1955. Nessa época, a construção da Igreja já estava toda terminada, bem como a cobertura, fachada e torre.

Instalação da Paróquia e posse do 1º pároco

 

Na criação da Paróquia, podemos destacar “os privilegiados”, que receberam o sacramento pela primeira vez:

 

1º Batismo: 01/01/1955 – foi ministrado a Dona Anécia Maria de Oliveira

 

1ª cerimônia de casamento: 08/01/1955 – proferida ao casal Antônio Cristiano Filho e Manoelina Maria da Silva.

 

Casal Antônio Cristino e Manoelina Silva

 

Sacerdotes que passaram pela Paróquia do Senhor Bom Jesus

 

Diversos padres passaram pela Paróquia do Niterói e deixaram sua marca, em especial através do modo de ser. Cada qual com sua personalidade e temperamento, mas cuja imagem revelava o próprio Cristo.

 

É difícil exprimir em palavras o feito espiritual e em obras, deixada por cada um. Mas o nosso agradecimento e oração, sejam aqueles que se encontram entre nós e muitos, que hoje perto de Deus são intercessores.

 

Criada a Paróquia do Senhor Bom Jesus, o 1º pároco foi Frei Carlos de São José, que atuou de 01/01/55 à 11/07/55. Em seguida foi substituído por outro Frei que atuou até a posse do Pe José Martins em 22/02/56. Pe José esteve à frente até agosto de 1963. Desta data até 23/02/64, a Paróquia recebeu Pe Antônio Romão e Pe Altamiro de Faria, este último, foi quem iniciou a construção da casa paroquial.

 

Um acordo entre a Diocese e a Congregação Espiritana, chega a Paróquia do Senhor Bom Jesus, o holandês Padre Teodoro Gottembos, atuando de 27/01/1964 à 27/07/1980. O saudoso Pe Teodoro, foi o primeiro pároco que mais atuou na Paróquia, quase vinte anos de doação e serviço. Foi nessa época que o CEAS, com a ajuda do Sr. José Olímpio, passou a pertencer a Igreja, após Pe Teodoro saldar suas inúmeras dívidas.

 

Com a saída do Pe Teodoro, assume a paróquia: Pe José Raimundo Bechelaine, Pe Agostinho Ferreira e Pe Davi Ramos Fernandes, que ficam à frente até 01/01/82. Em seguida, assume Pe Heli Lourenço, de 03/01/82 à 12/01/86.

 

Em 02/02/86 assume Pe Moacir Chagas Tavares, tendo Pe Luiz Carlos de Castro como vigário paroquial. Seu paroquiato termina em 1990. Nesta época, já estavam instalados no território paroquial: as Irmãs Hospitaleiras do São João de Deus, as Carmelitas no Carmelo, as Irmãs Hospitaleiras do Coração de Jesus na Clínica Bento Menni e as Irmãs do Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração na Vila Vicentina.

 

De 1990 à 1993 assume Pe Pedro Gondim, de 1993 à 1994 Pe Edilson; Padre Jair Simão fica à frente de janeiro a maio de 1995 e em seguida Padre Roberto Cordeiro, de 1995 à 1997.

 

Em 07/01/1998 assume Pe Euclydes Bebiano dos Santos, que grandes feitos deixou na Paróquia, como a transmissão da Missa sexta-feira às 15h pela Rádio Divinópolis. Mesmo com todas as limitações físicas, permaneceu inabalável, realizando obras e cuidando das ovelhas perdidas. Pe Euclydes esteve à frente da Paróquia Senhor Bom Jesus até 2007, sendo o segundo pároco que permaneceu mais tempo.

 

De 2007 a 2016, o pároco designado a coordenar os trabalhos é Pe Carlos Henrique de Alves Resende, que grandes feitos como o Terço dos Homens trouxe para os paroquianos do Niterói e região. De 2016 a 2018, Pe Geraldo Menezes, hoje em missão pela Amazônia, é quem assume as atividades da Paróquia Senhor Bom Jesus.

 

O Bom Jesus do Niterói: 65 anos de fé, doação e espiritualidade

 

Desde 10/02/2019, a Paróquia do Santuário do Senhor Bom Jesus é administrada por Pe. Cristiano Alisson de Oliveira tendo como Vigário Paroquial Pe. Ydecy Ferreira Santos. Atualmente, são 9 Comunidades além da Matriz, situados em diversos bairros, sendo:

 

- Comunidade Nossa Senhora do Carmo (Espirito Santo)

- Comunidade São Luiz Gonzaga (São Luís)

- Comunidade Santa Edwirges (Mangabeiras)

- Comunidade Santa Helena (Maria Helena)

- Comunidade de São Lucas (São Lucas)

- Comunidade de São Simão (São Simão)

- Comunidade de Santa Clara (Del Rey)

- Comunidade Nossa Senhora de Abadia (Grajaú)

- Matriz do Senhor Bom Jesus (Niterói)

 

As atividades paroquias se dividem nas seguintes pastorais e movimentos, atuada por leigos e orientada pelos párocos:

 

- Pastoral Litúrgica, Vocacional, Batismo, Catecumenato, Crisma, Familiar, Dízimo, Acolhida, Saúde, Corais, Cerimonial, Coroinhas, Ornamentação, Ostiárias, Acólitos e Equipe de Eventos.

- Grupos dos Vicentinos, Apostolado da Oração, Grupos de Reflexão e Setor de evangelização.

- Grupo da Divina Misericórdia, Divina Pastora e Nossa Senhora da Esperança, Clube de Mães e Movimento Maria de Nazaré.

- Movimento do Cursilho, Legião de Maria, Mãe Rainha, Terço dos Homens, Terço das Mães e Terço da Gruta.

- Ministro da Eucaristia, Exéquias e da Palavra.

 

  

 

      

 

    

 

    

 

    

 

Clique aqui e veja mais notícias da Paróquia do Senhor Bom Jesus.

 

Nas redes sociais, fanpage: Paróquia do Senhor Bom Jesus e @bomjesusdivinopolis, você confere outras fatos que engradeceram e somaram ao que hoje conhecemos e partilhamos dessa história de fé:

 

- A história da Praça pública ao lado da Igreja.

- As Obras Sociais que servia sopa aos pobres.

- A trajetória do holandês Pe Teodoro, o pároco que mais tempo esteve à frente da Paróquia.

- A primeira vez que Jesus Sacramentado visitou a Lajinha (hoje bairro São João de Deus) e muito mais... Te esperamos lá!

 

 

Por Luana Natacha / Pascom Bom Jesus

Fotos: Arquivos de fotos da paróquia

Notícias Relacionadas

18 out 16
28 mar 14
04 set 13
05 ago 14

Parceiros