×

Paróquia Catedral Divino Espírito Santo

Paróquias

O incêndio da Igrejinha anterior à Matriz em 23 de maio de 1830

sábado, 23 de maio de 20 às 13:01 | Atualizado às 13:03
O incêndio da Igrejinha anterior à Matriz em 23 de maio de 1830

Em 1767 foi erguida uma Igrejinha, tendo como padroeiros o Divino Espírito Santo e São Francisco de Paula, no Largo da Matriz pelos moradores do povoado. Era uma igrejinha bem modesta, rústica e sem nenhum ornamento. Porém, servia como referência religiosa para toda a freguesia. 

 

Quando essa igrejinha contava com cerca de 63 anos, em 1830, após as celebrações de uma festa religiosa, a pequena Matriz foi consumida por um terrível incêndio. 

 

A tragédia aconteceu no dia 23 de maio de 1830, contam que o sacristão Manoel dos Santos Ribeiro, certificou-se que as portas e janelas estavam trancadas, passou a chave na porta de entrada e foi-se embora.

 

Porém, esqueceu uma vela acesa no altar-mor. Por volta das 23 horas, o povoado já dormia quando todos despertaram com o grande barulho, eram as paredes da igrejinha vindo abaixo.

 

Em poucos instantes, a praça estava repleta de gente. Todos tentavam fazer alguma coisa, mas o fogo era intenso e tomava conta de tudo. Ainda houve quem buscasse baldes de água para tentar debelar as chamas. Tudo em vão. 

 

Diz Antônio Gontijo de Azevedo que, o fogo era tão horrível que um negociante, por nome Francisco Machado de Miranda, morador da casa nº 370 do largo, próximo da Matriz, foi obrigado a transportar ás pressas seus pertences para debaixo de uma grande gameleira mais distante da igrejinha., temendo que sua casa fosse atingida pelas labaredas.

 

Dessa igrejinha e desse incêndio não existem registros fotográficos. As fotos que existem de igrejas do Largo da Matriz são todas posteriores a essa igrejinha incendiada.

 

 

(Texto elaborado por Salete Michelini)

Notícias Relacionadas

22 abr 15
18 mar 19
23 abr 19
29 nov 17

Parceiros