×

Matriz de São Sebastião

quinta-feira, 25 de setembro de 14 às 17:06 | Atualizado às 10:44
Matriz de São Sebastião

Matriz de São Sebastião

Centro

 

Azurita era apenas um povoado chamado Soledade do Pará. Era uma comunidade pequena e pacata, mas com um povo temente a Deus e fervoroso na fé. A primeira capela foi construída entre 1912 e 1913, em um terreno doado a Nossa Senhora do Rosário, por um fazendeiro que aqui residia. A capela de São Sebastião foi iniciada em 1938 e concluída em 1944, sendo Padre Hermenegildo Vilaça, o pároco da paróquia de Santo Antônio, de Mateus Leme e vigário da comunidade na época. A capela estava situada um pouco abaixo do local onde está hoje. Era muito pequena, construída com tijolos de adobe, assoalho de madeira, telhas curvas e não era pintada, apenas rebocada e caiada.
Entre os moradores estava o Sr. João Quirino, funcionário do correio e responsável pelas chaves da capela. Eram celebradas poucas missas no ano e quando acontecia, era motivo de festa para a comunidade, que fazia leilões, barraquinhas, prendas e outros eventos, para angariar fundos e ampliar a capela. Era uma época de poucos recursos, pois o pároco atendia inúmeras e distantes comunidades, sendo o seu meio de transporte um cavalo ou um burrinho. Mas, apesar das dificuldades o povo era unido, fervoroso e presente nas celebrações.


Durante muitas décadas, a Igreja manteve um sistema muito rigoroso com relação aos trajes, velórios e outros costumes cultivados por ela; vindo com o passar dos anos, rever esses conceitos e adequá-los à época.


Dentro das normas prescritas pela Igreja estava a de não permitir, na mesma, velório de pessoas assassinadas ou que praticaram suicídio.


Aconteceu, na época, um assassinato num povoado denominado Fecho do Funil (pertencente a Mateus Leme), no qual adentraram na capela, sem a devida permissão, colocando o corpo para ser velado, com orgias e vandalismo; sendo tal procedimento contra as normas prescritas pela Igreja. O pároco, Padre Vilaça, comunicado do ocorrido, determinou que interditasse a Capela, não havendo ali nenhum tipo de celebração, sendo as mesmas realizadas ao ar livre; na condição de que fosse erguida uma nova Capela. Com a ação comunitária, em 1944, estava construída a nova Capela.


Como consta no início desta, a igreja era muito simples e necessitava de acabamentos, os quais, o finado Padre Vilaça não pode concluir. Dando continuidade ao seu valoroso trabalho pastoral, estava Padre Cáuper, auxiliado pela Sra. Maria Lara, que acompanhou e coordenou a reforma e conclusão da Capela de São Sebastião; sendo construídas em 1962 as laterais que compõem a mesma.


A comunidade, sempre muito assídua e com seus donativos e trabalhos voluntários, construiu, em 1968, a casa paroquial e o Salão Padre Marquinhos.


Em 1999, com a ajuda da comunidade, que se mostra tão generosa, foi feita a primeira reforma dentro da Igreja atual.


Em 2002, sob a coordenação de Padre Luiz César, a igreja recebeu pintura externa.


Aos 2 dias do mês de dezembro do ano 2000, às 19 horas e 15 minutos, na celebração Eucarística presidida pelo Bispo Dom José Belvino do Nascimento, foi lido o Decreto nº. 68, que criava a Quase-Paróquia de São Sebastião, tendo como território os distritos de Azurita e Serra Azul, desmembrados da Paróquia de Santo Antônio, de Mateus Leme. A notícia foi recebida com alegria e entusiasmo pela comunidade, que jamais se esquecerá das benfeitorias e evangelização, aqui plantadas pelo Padre Luiz César Antunes da Silva.


Em fevereiro de 2003, com a saída do Padre Luiz César, a comunidade acolheu o novo administrador paroquial, Padre Geraldo Menezes, pároco da Paróquia de Santo Antônio, de Mateus Leme, que com a colaboração do Padre Cláudio da Silva e Frei José, assumiram a administração da Quase-Paróquia de São Sebastião, de Azurita. Os trabalhos paroquiais prosseguiram com bom êxito. Em 22 de agosto de 2004, chegava à nossa comunidade o Padre Washington Valério da Silva, que com sua simplicidade, alegria, carisma e dedicação pela sua missão, uniu ainda mais os fiéis, os quais muito necessitavam de um pastor aqui residindo, a fim de conduzir, com maior zelo, nossa Quase-Paróquia.


Em todas as comunidades via-se a alegria estampada no rosto dos fiéis, os quais, unidos em oração, pediam a Deus e a Dom José, o qual tanto faz pela nossa comunidade, que permitisse ser Padre Washington, o condutor deste rebanho. Em janeiro de 2005, a comunidade comemorou, com muita alegria e entusiasmo, a nomeação do Padre Washington, como o novo administrador paroquial da Quase-Paróquia, numa celebração que emocionou a todos os fiéis presentes à mesma.


No dia 20 de janeiro de 2006, durante as festividades do padroeiro, a comunidade recebe, com muita alegria, a notícia da criação da nova Paróquia de São Sebastião. Em pouco tempo, muito foi feito pela nossa igreja local: reforma das capelas e da casa paroquial, 30 celebrações eucarísticas todos os meses, comemorações festivas dos padroeiros das capelas, grande número de fiéis arrebanhados, momentos sublimes de adoração ao Santíssimo Sacramento e tantas maravilhas que muito agradam aos olhos e ao coração.
Nossa paróquia se engrandece com os trabalhos de Padre Washington, Dom José Belvino, e com o de todos aqueles que se doaram desde a construção da primeira capela, em meados de 1912, até os dias de hoje, na certeza de que a presença do amor infinito de Deus por nós, há de ser constante, aqui na Paróquia.

Notícias Relacionadas

01 ago 14
21 mai 13
15 jul 13
15 jul 13

Parceiros