×

Capela de Santa Helena

sexta-feira, 05 de setembro de 14 às 17:18 | Atualizado às 09:10
Capela de Santa Helena

Capela de Santa Helena

Lava Pés 

 

 

O primeiro indício documental que encontrei sobre a Serra da ‘Gurita’ é datado de 1801, na comarca de Vila Rica, ainda no termo da jurisdição da Vila de São Bento do Tamanduá, hoje Itapecerica. Trata-se de um requerimento de Sesmaria concedido um total de 3 léguas situadas “emhumas terras” na paragem chamada os Guritas, a Sebastião Dias dos Reis um dos primeiros habitantes, confrontante de Joaquina Rita, Francisco Pereira, Joaquim Toste, e Miguel Affonso.  Toda essa averiguação da sesmaria passava pelos olhos e penas do intitulado capitão general de MG, governador da capitania de SP, e administrador colonial português aqui no Brasil:   o fidalgo conde de Sarzedas Bernardo José de Lorena. Nenhuma Sesmaria era concedida sem o seu conhecimento. Somente ele era o legitimado para dar selo e consentimento às posses dos Sesmeiros em nome da coroa.

 

O segundo indício mais próximo, é datado de 15 de dezembro de 1883. Cuja proprietária dessas terras era Dona Paula Maria de Jesus Tobias. A petição legitima a existência do orago Stª Helena na Serra da Gurita, e da boa e perfeita imagem da mesma padroeira. Endereçada ao Revmo bispo Antônio Mª Correia de Sá e Benevides, a petição solicita uma licença para desativar uma capela na Serra da Gurita, na Freguesia do Espírito Santo do Itapecerica, concedida ainda por  D. Viçoso (1844/1875) para sua edificação na Serra por nome Gurita.   Encontrava-se a capela em péssimas condições de conservação, distância, e das precárias para se chegar até o topo do morro para rezar missa, e ou pagar promessas no orago de Santa Helena. A fazendeira dª Paula Mª de Jesus Tobias, temendo ruir a capela e danificar todo o patrimônio existente, foi logo procurar o vig.  Revmo. Pe Bernardo de Oliveira Barreto para tomar conselhos, e para que pudesse  transladar o orago para outro lugar desejaria um consentimento, e autorização do bispo. O lugar escolhido foi mais próximo à sede da fazenda. Lugar onde se encontra hoje o “Lava Pés” no distrito de Stº Antônio dos Campos.

 

No pico do Morro da Gurita onde existiu a antiga capela de Santa Helena, ainda existe o alicerce de pedra, o cruzeiro de aroeira preta, e o muro de pedra seca. O mentor da construção da Cruz de Todos os povos:  o Sr. Jesus Ibanez, com muito cuidado respeitou a preocupação do Bispo D. José Carlos de Souza Campos, o povo de Ermida e Divinópolis. E, manteve exatamente o lugar do alicerce da antiga igrejinha e dos cruzeiros. Segundo relatos orais, um dos cruzeiros seria o mais antigo cruzeiro daquela região original da antiga capela de Santa Helena, e o outro foi fincado pelo povo de Ermida para as celebrações de missas que acontecia anualmente celebradas pelo frei Leo, com os cavaleiros e amazonas.

 

Erivelta Diniz/ pesquisadora e historiadora

Notícias Relacionadas

14 mai 13
16 jan 14
13 fev 14
06 ago 14

Parceiros