×

Conteúdo

Documento 108 da CNBB e Proposta da Pastoral do Dízimo foram pautas da Reunião do Clero

terça-feira, 30 de abril de 19 às 12:33

Na manhã desta terça-feira, 30 de abril, os padres da Diocese de Divinópolis se reuniram, no Centro Diocesano de Pastoral, para mais uma reunião do clero. Na ocasião, o Seminarista Pedro Henrique ministrou uma formação sobre o Documento 108 da CNBB, que tem como título "Ministério e celebração da Palavra".  Outra pauta da reunião foi tratada pelo seminarista Hiago Fonte Boa, que apresentou a proposta para trabalho da Pastoral do Dízimo em 2019.

 

DOCUMENTO 108

 

Atualmente, cerca de 70% das comunidades no Brasil não têm acesso à celebração Eucarística aos domingos presidida por sacerdote, destaca o arcebispo de Londrina (PR), dom Geremias Steinmetz e presidente do regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

 

Muitas dessas comunidades estão em regiões distantes que não permitem aos fiéis irem a uma igreja para participar da Santa Missa. Diante dessa realidade, a CNBB lançou o documento “Ministério e celebração da Palavra”.

 

O Material traz informações básicas, diretrizes gerais para a elaboração de um plano de formação e acompanhamento dos ministros da Palavra de Deus. Além de roteiros exclusivos para as celebrações sejam com ou sem Eucaristia.

 

A atualização das orientações para a celebração da Palavra tem como base o Documento 52 da CNBB, aprovado durante a 32ª Assembleia Geral da CNBB, em 1994. Nele, a celebração da Palavra é definida como um ato litúrgico reconhecido e incentivado pela Igreja.

 

Dom Geremias afirma que o documento que veio para ser um instrumento de estudo e formação litúrgica foca na importância da celebração que anuncia da Palavra de Deus de qualquer forma na vida das famílias e na vida das comunidades.

 

O Documento 52 da CNBB afirma que as Celebrações da Palavra de Deus não são uma criação das últimas décadas, mas fazem parte da tradição da Igreja. No texto é possível identificar uma de suas finalidades: a de assegurar às comunidades cristãs a possibilidade de se reunir no domingo e nas festas, tendo a preocupação de inserir suas reuniões na celebração do ano litúrgico e de as relacionar com as comunidades que celebram a Eucaristia.

 

Segundo o presidente da Comissão que trabalhou na atualização do documento, dom Geraldo Lyrio Rocha, o texto atual busca integrar a reflexão sobre os ministérios pensando especialmente nas comunidades que não contam com a presença frequente de ministros ordenados.

 

Na introdução, o subsídio traz uma afirmação de São Paulo VI que diz: “os leigos podem também sentir-se chamados ou vir a ser chamados a colaborar com os próprios Pastores no serviço da comunidade eclesial, para crescimento e a vida da mesma. A Igreja reconhece também o lugar dos ministérios não ordenados, e que são aptos para assegurar um especial serviço a Igreja”.

 

Dom Geremias relata ainda que a comissão optou por sugerir a celebração da palavra no formato da liturgia das horas, ou seja, a liturgia das laudes e das vésperas com ou sem a distribuição da Eucaristia.

 

 

O subsídio Ministérios e celebração da palavra pode ser encontrado na Livraria João Paulo II, localizada na Rua Goiás, 1125, no Centro de Divinópolis.

 

 

POR TÚLIO VELOSO

 

 

Notícias Relacionadas

13 fev 20
22 out 19
30 mai 18
06 set 15

Parceiros