×

Conteúdo

Diocese de Divinópolis preparada para a Campanha da Fraternidade 2014

segunda-feira, 17 de fevereiro de 14 às 06:00
Padre Luis Carlos

A Campanha da Fraternidade é realizada anualmente pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos no Brasil), com o objetivo de despertar a solidariedade dos seus fiéis para um problema concreto que abrange a sociedade brasileira. Para o ano de 2014, a CNBB escolheu como tema “Fraternidade e Tráfico Humano”, e lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou”.


No domingo dia 09/02, foi realizado, no Centro Pastoral, em Divinópolis, o Encontro Diocesano da Campanha da Fraternidade, para líderes e coordenadores de pastorais, das sete foranias que compõem a diocese.

 

 

 


Carlos Roberto, Secretário Executivo da Diocese, fala sobre o tema e a finalidade do encontro:

 

 

Padre Luis Carlos Amorim, Pároco da Paróquia São Cristóvão de Divinópolis, faz um alerta quanto a realidade desses crimes que também estão presentes em nossa região:

 

 

Padre José Carlos, Administrador Diocesano, define como diabólica a situação do tráfico humano:

 

 

 

 

Entenda um pouco mais sobre o tema “Fraternidade e Tráfico Humano”

 


O tráfico humano, também chamado de tráfico de pessoas, é uma das atividades ilegais que mais se expandiu no século XXI, pois, na busca por melhores condições de vida, muitas pessoas são ludibriadas por criminosos que oferecem empregos com alta remuneração. Esses “agentes” atuam em escala regional, nacional e internacional, privando a liberdade de indivíduos que sonham um futuro melhor.

 

O tráfico de pessoas consiste no ato de comercializar, escravizar, explorar, privar vidas, ou seja, é uma forma de violação dos direitos humanos. Normalmente, as vítimas são obrigadas a realizar trabalhos forçados sem qualquer tipo de remuneração – prostituição, serviços braçais, domésticos, em pequenas fábricas, entre outros –, além de algumas delas terem órgãos removidos e comercializados.

 

As vítimas já chegam endividadas ao destino de “trabalho”, pois elas têm que pagar aos traficantes valores elevadíssimos referentes à viagem, hospedagem, documentação, alimentação, roupas, e outros itens.


O problema é que essa dívida, através da cobrança de juros altos, toma proporções de forma que nunca poderá ser paga. Sendo assim, os criminosos passam a ameaçar e torturar os “devedores”.

 

As mulheres são o principal alvo, pois o retorno financeiro para os traficantes é maior, visto que a prostituição, atividade mais desenvolvida por pessoas do sexo feminino, é o destino de 79% das vítimas do tráfico humano. O trabalho forçado, exercido por homens, mulheres e crianças, representa 18%. Essa atividade movimenta cerca de 32 bilhões de dólares por ano, privando a vida de mais de 2,5 milhões de pessoas.

 

 

Por: Fernando Cézar | Rádio Stilo FM

Fotos

Notícias Relacionadas

06 mai 16
21 dez 15
25 mar 19
26 mai 16

Parceiros