×

Conteúdo

Comentário ao Evangelho do Domingo de Jesus Cristo Rei do Universo (Mt 25,31-46) - 22/11/20

sábado, 21 de novembro de 20 às 10:00

 

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 31“Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. 32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! 35Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. 37Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?’ 40Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’ 41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; 43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não me fostes visitar’. 44E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?’ 45Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo: todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’ 46Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”.

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

 

Comentário do Padre Guilherme

 

Embora nesta passagem haja uma comparação do Filho do Homem com um pastor, não é uma parábola, mas uma descrição do juízo final.

 

O Filho do Homem chegando acompanhado de anjos e sentando-se em um trono é uma imagem apocalíptica. Jesus compara a separação que haverá após o julgamento com a separação que se fazia nos rebanhos de animais daquele tempo, quando chegava a noite. Os animais menores precisavam de mais proteção contra o frio. Durante o dia, em um rebanho, ovelhas e cabritos ficam juntos no campo. Assim, também no mundo, permanecem juntas as pessoas boas e más. Após o juízo final, haverá a separação conforme os atos praticados. Para uns a salvação, para outros a perdição.

 

Os destinatários da caridade são os mesmos necessitados do Antigo Testamento: famintos, sedentos, estrangeiros, nus, doentes e prisioneiros (Is 58,7; Tb 4,16). A novidade de Jesus é Sua presença nesses sofredores. Quem socorrê-los fará isso a Jesus.

 

O convite para quem quiser ter Jesus como rei é a vivência do amor ao próximo. Assim, no juízo final poderá se reencontrar com Jesus, porque já O terá encontrado antes no pobre e no sofredor.

 

Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira.

Notícias Relacionadas

23 jun 15
16 jul 18
01 mai 17
13 out 15

Parceiros