×

Histórico da Paróquia de São José - Itaúna

Se do Coração de Jesus jorra fonte de vida e misericórdia para todos que O buscam, foi também do Coração de Jesus que brotou a Paróquia São José. No dia 20 de dezembro de 1998 foi assentada a Paróquia de São José, a mais nova entre as paróquias do município de Itaúna.

 

 

PRIMEIRA FASE

 

A bênção da pedra fundamental da primitiva capela foi dada por padre José Ferreira Netto, aos 26 de abril de 1959, tendo sido a comunidade de Garcias colocada sob o patrocínio de São José. Quando ainda comunidade da Paróquia do Coração de Jesus tínhamos uma vida espiritual e celebrativa muito atuante: nos fins de semana, os padres da época celebravam conosco, e nas Celebrações da Palavra a presença dos ministros José Amâncio e José Josimo que muito nos marcou com vários anos de dedicação.

 

QUASE PARÓQUIA

 

Na data de 28 de janeiro de 1996, no Livro de Decretos e Provisões - Livro III, Folhas 56V, Provisão 6.448, foi decretada por Dom José Belvino do Nascimento a criação da Quase Paróquia de São José, atendendo ao pedido das pastorais e para o crescimento espiritual de um povo tão atuante. Foi provido ao cargo de Administrador Paroquial o padre Gilmar Pinheiro Marques, como convém ao serviço de Deus, o bem das almas e zelo e dedicação aos fieis.

 

Neste ano, a Quase Paróquia de São José já contava com as comunidades urbanas de São José (Garcias), São Pedro (Itaunense), Santa Edwiges (Cidade Nova) e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Aeroporto). Haviam ainda três comunidades rurais: São João Batista (Lopes), Santa Teresinha (Campos) e Nossa Senhora de Fátima (Cachoeirinha), esta última desmembrada da Paróquia Sant’ Ana de Itaúna.

 

No dia 16 de fevereiro de 1997, um domingo à tarde, nas festividades do “Jubileu do Ano 2000” (proclamado pelo papa João Paulo II), foi palco armado atrás da matriz e às 18 horas iniciou-se a celebração presidida pelo reverendíssimo vigário forâneo, padre Carlos Roberto Marques. Para esta celebração, foi feita a primeira reforma da igreja. A imagem do padroeiro foi conduzida até o altar pelos moradores das comunidades pertencentes à nova Quase-Paróquia.

 

Padre Gilmar, juntamente ao Conselho Pastoral, arregaçou as mangas e puseram-se em movimento, estruturando física e pastoralmente a Quase Paróquia São José. Dentre as ações, nota-se a ampliação das pastorais e movimentos, reformas na casa paroquial, projetos para o Centro Pastoral, estímulo e implantação do Dízimo, ampliação das celebrações e do atendimento aos fiéis, comemorações em louvor ao padroeiro São José e animadas quermesses paroquiais. Destaca-se ainda a criação de uma Secretaria na Quase-Paróquia, passando a ter um atendimento prestativo, carinhoso e eficiente.

 

IMPLANTAÇÃO DA PARÓQUIA

 

No dia 20 de dezembro de 1998, às 19 horas, ocorreu a missa de elevação à Paróquia São José, com a presença dos padres: Emanuel Cordeiro Costa, Joaquim Antônio Gonçalves e José Netto. Padre Emanuel, vigário forâneo, iniciou a celebração com a leitura do Decreto de Instalação assinado pelo reverendíssimo bispo diocesano, Dom José Belvino do Nascimento, abençoando esta nova paróquia sob o patrocínio de São José, Esposo da Virgem Maria.

 

A Paróquia foi sendo estruturada pastoral e economicamente, as comunidades foram se organizando nas pastorais e movimentos e espalhando-se por todos os cantos.

 

Em 9 de abril de 2004, sexta-feira da Paixão, deu-se o que podemos chamar de “Fato Extraordinário”: foram encontradas na sacristia duas âmbulas com hóstias que, na dúvida se eram consagradas, colocou-se água para dissolver. Passados vinte e cinco dias, a água e as hóstias ficaram avermelhadas. Fez-se então um teste em dois laboratórios e ambos constataram se tratar de “hemácias”. Semanalmente, iniciou-se uma novena perpétua em devoção ao Preciosíssimo Sangue de Jesus.

 

As atividades religiosas cresciam na mesma velocidade em que a região abrangida pela paróquia crescia, surgindo a necessidade da construção de um templo que abrigasse a grande massa de fiéis. Organizou-se a comissão para a construção de uma nova Matriz e toda a paróquia se envolveu nesta grande empreitada com campanhas de doações, barraquinhas, leilões, rifas, bingos, pechinchas, bailes de casais e namorados.  A nova igreja encontra-se erguida em meio à praça, revelando uma arquitetura imponente e moderna, estando mais confortável para todos os fiéis, ampla e digna para as celebrações de louvores ao Senhor e ao nosso patrono São José.

 

Além das comunidades já existentes e anexadas ao território paroquial, surgiram as comunidades dedicadas à Mãe Rainha de Schoenstatt (Murilo Gonçalves) e São João Paulo II (Santa Edwiges), além de ter acrescido São Paulo como patrono da comunidade do bairro Itaunense.

 

Nesses vinte e um anos de caminhada paroquial, por aqui passaram padres que nos marcaram profundamente, cada qual a seu modo:

- Padre Gilmar Pinheiro Marques (1997 a 1998)

- padre Joaquim Antônio Gonçalves (1998 a 2004)

- padre Sebastião de Faria Ramos (2004 a 2005)

- padre Welbert de Oliveira (2005 a 2008)

- padre Adriano José de Oliveira e padre Everaldo Quirino Ferreira (2008 a 2010)

- padre Carlos Antônio de Medeiros (2010 a 2018)

 

Atualmente, a paróquia possui como administrador paroquial o reverendíssimo padre José Geraldo Flores, que tomou posse em 11 de fevereiro de 2018. Nossa paróquia estrutura-se em nove comunidades (três rurais e seis urbanas), possuindo uma média de 20.000 fiéis, que atuam de maneira aleatória em todas as pastorais  e movimentos. É um povo de fé, participativo e guerreiro. Abraça com carinho a todos que vêm trazer a mensagem do Senhor!

 

Luciene Maria de Souza e Souza

Parceiros