×

Histórico da Paróquia de Nossa do Pilar - Pitangui

O primeiro pároco de Pitangui, o Pe. Luiz Damião, foi nomeado em 21 de março de 1724. Afastou-se diversas vezes do cargo, com licença episcopal, deixando, provisionados como Vigários Encomendados: Padres Manuel Velho Leão, João Jácome Pereira, Inácio Gonçalves Loureiro, Simão Silveira, Manuel da Cunha Vilas Boas, André de Sousa Leite e Caetano Mendes Proença.
Pe. Damião permutou sua Paróquia com a do Pe. Antônio Pereira de Azevedo que ficou como 2º Vigário (24.04.1759 – 29.05-1766 – data de seu falecimento). Foi substituído pelo Pe. Dr. Domingos Soares Torres Brandão, que paroquiou de 29.05.1766 até 1813. No período de 21.12.1766 até 1768, teve como Vigário Encomendado o Pe. Dr. Jorge de Abreu Castelo Branco (pai da famosa Joaquina do Pompeu).


O próximo Vigário foi o Pe. Dr. Belchior Pinheiro de Oliveira, conhecido pela sua participação efetiva na Independência. Paroquiou de 18.05.1814 a 12.06.1856. Teve como substitutos (nas prisões e exílios) os Padres: Miguel Dias Maciel e Vicente Ferreira Guimarães.


Foi o Pe. Vicente o Vigário do período à frente (02.08.1858 – 29.11.1900). Nestes 42 anos teve os seguintes cooperadores: Padres João Batista Porto, Luís Antônio dos Santos Amorim, Antônio Maria, João Martinho de Almeida, Joaquim Xavier Lopes Cançado e Américo Epifânio Pereira.


Foi substituído pelo Pe. Américo que paroquiou de 1900 a 1912, tendo por coadjutores os Padres Jesuíno Soares da Cunha, José de Freitas Lage, Alfredo Alves Pinto e Vicente Soares. O período seguinte foi regido pelo Mons. Fernando de Oliveira Barbosa, que teve como auxiliares os Padres Vicente Soares e Benjamim de Castro Lopes Natividade.


Infelizmente uma grande tragédia se abateu sobre nossa Igreja, um horrível incêndio destruiu toda a Matriz no ano de 1914.


Com muita luta, garra e determinação a comunidade pitanguiense se uniu para construir a nova Matriz. Foram 7 anos de trabalho. Mas valeu a pena! A Matriz foi inaugurada aos 15/08/1921, sendo este belíssimo templo que perdura até os dias atuais.


Entre 1916/1917 foi Vigário o Pe. Matias Lobato, coadjuvado pelo Pe. Libério Rodrigues Moreira. Falecendo, foi nomeado o Pe. Artur de Oliveira, que ficou de 1917 a 1927. Teve como auxiliar o Pe. Dr. Inácio de Almeida.


Pe. José Augusto Dias Bicalho, foi o Vigário do período 1927/1935. Seu substituto foi o Pe. José Joaquim de Menezes que paroquiou entre 1935/1945, tendo como coadjutores os Padres Augusto Cerdeira e Grevy Guimarães de Almeida.


O pároco seguinte foi o Côn. Guerino Valentino Pontello, que assumindo em 1945, deixou o paroquiato por 18 meses, quando nomeado capelão administrador de Macaúbas, ocasião em que foi substituído pelo Pe. Olavo Ferreira de Araújo. Contou com os seguintes cooperadores: Padres Osvaldo Mota Lírio, Carlos Rada Mecoleta e Mons. Vicente Soares. Teve em seu irmão, Pe. Antônio Pontello, o Vigário Paroquial, que até os dias atuais muito contribui para o crescimento espiritual da nossa paróquia.


Pe. Demóstenes César Mota assumiu a paróquia após Pe. Guerino se ausentar das atividades. Também passaram por aqui os Padres Geraldo José Maia, Almir Pereira Lopes, Pe. Rafael Caetano Moreira, Pe. Sebastião de Faria Ramos.


No fim de 2001, Pe. Sebastião, com muita determinação e entusiasmo, começou a reforma da Matriz, mantendo sua estrutura, modificando apenas o altar, o qual ficou belíssimo. E aos 15/08/2002 aconteceu a reinauguração da Matriz..


Infelizmente aos 14.03.2003 a Paróquia se deparou com uma perda extremamente lamentável, o falecimento do Côn. Guerino Valentino Pontello.


 


 

Parceiros