×

Histórico da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus - Conceição do Pará

Conceição do Pará, cidadezinha simples como centenas de outras cidades mineiras, nasceu margeando o Rio Pará pelo lado direito e cresceu à beira da linha da Estrada de Ferro. O município está localizado na região do alto São Francisco, ocupando uma área de 250 metros quadros. Sua altitude é de 864 metros. É banhado pelos Rios Pará e São João. Sua distância da capital, Belo Horizonte, é de 136 kms e de Divinópolis, sede da Diocese, 54 Kms. Falar de Conceição do Pará é falar de suja religiosidade expressa na beleza envolvente do santuário de Nossa Senhora da Conceição, construído em 1722 por Joseph Rodrigues Betim. O Santuário se localiza ao lado do Rio Pará, que desce encachoeirado, num recanto calmo e silencioso. É falar, também na sobriedade das linhas da Matriz do Sagrado Coração de Jesus, que se encontra na sede. O santuário é o ponto alto da religiosidade dos Conceição-paraenses. Sua construção tem muitas versões.


Narram os historiadores que, após vencidos na Sedição da cidade vizinha de Pitangui (1720), Domingos Rodrigues do Prado e seus companheiros refugiaram-se no local chamado Itaipava. Alguns de seu companheiros permaneceram em Itaipava e deram origem ao lugar, que mais tarde passou a ser conhecido como Cardosos. Conta a tradição que um escravo, após ser castigado por seu senhor, fugiu para o mato e lá encontrou uma imagem de Nossa Senhora. Voltando à fazenda, comunicou o fato a seu Senhor. Sabedores do fato, os Pitanguienses levaram a imagem várias vezes para Pitangui, mas esta desaparecia e só era encontrada no local descoberto. E assim levantou-se a capela, onde hoje é o Santuário Diocesano de Nossa Senhora da Conceição. O primeiro capelão do Santuário foi o Capelão Padre Felipe de La Contrie. Segundo o historiador Gustavo Penna, tudo leva a crer que a imagem, foi esculpida a canivete por Benetuto Celline.


Mas são os romeiros que se encarregam de contar outras versões para a construção do pequeno santuário. Uma delas reproduz a história da imagem de Nossa Senhora Aparecida. A versão contada por antigos moradores e perpetuada pela linguagem oral, ainda hoje atraem milhares de romeiros,que ao longo do ano, procuram o Santuário para agradecer os milagres e render graças a Nossa Senhora Imaculada Conceição, segundo a lenda teria sido encontrada presa a uma rede de pesca.


O Santuário Diocesano de Nossa Senhora da Conceição, construído no Século XVIII, foi inteiramente restaurado em 2002. A cerimônia de entrega da nova capela, foi realizada no dia 05 de dezembro de 2002 e, as instalações abençoadas pelo Bispo D. José Belvino do Nascimento, durante missa solene concelebrada pelo pároco de Conceição do Pará, na época, Padre Hernani José Ferreira e por vários outros sacerdotes da Diocese de Divinópolis.


Eclesiásticamente foi Capela filial da Matriz de Pitangui, sendo assistida pelos seus párocos até 31 de dezembro de 1955, quando foi elevada à categoria de Paróquia homenageando o Sagrado Coração de Jesus.


Seu primeiro pároco, durante 5 anos, foi Padre Antônio Pontello, sendo substituído por Padre Altamiro de Faria. Seguiram-lhe os carmelitas de Nova Serrana alternando-se: Frei Anastácio,OCD, Frei Anselmo Baltissem OCD, Frei René Buchs, OCD e Frei Ambrósio Heijenn OCD. Voltou aos cuidados de Padre Guerino Valentino Pontello e durante pouco tempo esteve sob os cuidados de Padre Agostinho. Em seguida vieram Padre Moacir Cândido Rodrigues, acumulando a direção da Paróquia de São Sebastião de Leandro Ferreira. Sucederam Padre Moacir Candido Rodrigues, Padre Heli Lourenço, Padre Hernani José  Ferreira, que era auxiliado por padre Sinfrônio de Freitas, filho da terra e Padre Welbert (Padre Betinho). Seguiu como pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus Padre Edvaldo José Damasceno que é auxiliado pro Padre Claudinei que atendem também a Paróquia de Santana em Onça do Pitangui. Atualmente a paróquia é assistida pelo Pároco Pe. Gilmar Pinheiro Marques, que com carinho e dedicação esta fazendo um ótimo trabalho de evangelização.
 

Parceiros