×

Histórico da Paróquia de São Sebastião - Araújos

No principio de 1800 estabeleceu-se aqui, às margens do Rio Lambari, uma família: Os Alves de Araújo, vindo de Santo Antônio do Monte. Era  uma família hospitaleira. Os tropeiros que por aqui passaram diziam: vamos parar lá nos Araújos e, com isso, ficou assim chamado este lugar. O nome pegou e não mudou mais. Nos meados do século 19 foi construída uma capela bem no alto, cercada de muro de pedras. Em volta dela ficava o cemitério e na frente uma grande cruz de madeira. Nesta capela o povo fazia suas orações e celebrava suas festas religiosas. Os casamentos e os batizados, eram realizados no arraial vizinho: Saúde (mais tarde chamada Perdigão). Lá, os padres apareciam uma vez por mês, vindos de Santo Antônio do Monte ou de Bom Despacho. Em 1925 foram realizadas as primeiras Missões, que ajudaram na preparação das crianças para a Primeira Comunhão. Nasceu o costume de rezar o terço em família. O povo gostava de fazer suas festas, aproveitando o mês de maio, junho, a época de Natal, festa da colheita.


Em 1929, foi introduzido a festa do Reinado, que se tornou  muito popular, até hoje. O povo era todo católico e não permitia que famílias de outros credos se instalassem aqui.
Alguns dados importantes:

  • 1929 - Criação de duas Conferências Vicentinas.
  • 1943 - Fundação do Apostolado da Oração.
  • 1946 - Fundação da Pia União de Santo Antônio.


Na década de 1940, com a população crescendo, o povo unido decidiu fazer uma nova Igreja, desmanchando a  antiga capela.


Em 14-02-1953, criação da Paróquia de São Sebastião, em Araújos, pelo Bispo de Luz, Dom Manuel Nunes Coelho. Uma vez por mês vinha o padre de Perdigão para atender o povo. Em 1955, após a construção da casa paroquial, foi nomeado o primeiro pároco: Padre Antenor Viana.


Em 1955, o Apostolado da Oração já tinha 250 associados. Padre Antenor trabalhou  muito na preparação dos noivos para o casamento, falava sobre a disciplina e o comportamento na Igreja, reclamava do forte barulho dos rádios na praça da matriz.


Consta que toda a área da cidade era patrimônio da Igreja. As  pessoas invadiam, outras construíram suas casas e outras cercaram alguma parte do terreno. Houve pessoas que ocuparam um lote e venderam a outras pessoas. O vigário da Paróquia recebeu da Mitra Diocesana a procuração para todos os efeitos com relação ao patrimônio da Igreja.


Em 1958, foi criada a Diocese de Divinópolis. A partir deste momento, a paróquia de São Sebastião passa a pertencer à Diocese de Divinópolis. Logo no primeiro ano, o Bispo Dom Cristiano faz a primeira visita. Em 1960, a paróquia São Sebastião foi entregue aos cuidados dos padres da Congregação do Espírito Santo, que desenvolveram um bom trabalho de evangelização e de conscientização. Houve um pequeno intervalo em que o Padre Olavo Cabral tomou conta da paróquia e construiu uma capela, na periferia da cidade.


Em 1984, chegou Frei Ambrósio, Carmelita, para assumir a paróquia. Fez um bom trabalho de renovação. Reformou o Centro Paroquial, construiu a creche, incentivou o trabalho dos leigos nas comunidades rurais e urbanas. Os Vicentinos continuam um bom trabalho, Em 1995, padre Evaristo  deu continuidade aos trabalhos existentes, ajudou no movimento dos Cursilhos e do MFC.

Em 1999, chegou Padre Humberto como Administrador da Paróquia. Foi com certa facilidade que ele pode assumir, pois encontrou tudo bem organizado. Deu uma  atenção especial à catequese, à pastoral da Família.  A APAE ganhou uma sede própria.  Foi construído o Lar Santo Ambrósio por um grupo de pessoas que se uniram para oferecer um lar para os idosos. A paróquia São Sebastião tem, atém da matriz, três capelas na área urbana; Nossa Senhora do Aparecida, Nossa Senhora do Carmo e Nossa Senhora do Rosário e três capelas na área rural; Santa Maria Madalena, em Pintores, Nossa Senhora de Belém, em Capivari e São Sebastião, em Malaquias ou Bela Vista. Tem mais ou menos 7.000 habitantes dos quais cerca de 1.000 na área rural. A maioria do povo é católico.

Parceiros