×

Conteúdo

Comentário do Evangelho do 21º Domingo do Tempo Comum (Mt 16,13-20) - 24/08/14

quinta-feira, 21 de agosto de 14 às 09:59

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e aí perguntou a seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”

14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros, que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.
15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”

16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.

18Por isso, eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la.

19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.
20Jesus, então, ordenou aos discípulos que não dissessem a ninguém que ele era o Messias.

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

 

 

Comentário do Padre Guilherme:

Neste trecho do Evangelho, Jesus continua com a intenção de fazer os discípulos entenderem quem Ele era.
Primeiro, pergunta sobre quem as pessoas comuns pensavam ser o Messias esperado. A resposta mostra que essas pessoas, que ainda não haviam sido iniciadas nos mistérios da fé como os discípulos já haviam, não tinham muita certeza de quem fosse o Messias. Para essas pessoas, deveria ser algum profeta: ou João Batista, a quem tinham testemunhado pessoalmente ou talvez algum dos profetas de tempos antigos, como Elias, Jeremias ou algum outro do tempo do Antigo Testamento.
Jesus então resolve dirigir a pergunta aos próprios discípulos. Eles já tinham condições de saber, porque já haviam aprendido e testemunhado muitos sinais e ensinamentos.
A resposta de Pedro é uma verdadeira confissão de fé: que Jesus é o Messias, o Filho de Deus. O líder dos apóstolos apresenta essa resposta, embora ainda não tivesse certeza total. Os discípulos só tiveram uma compreensão plena de quem era Jesus depois da paixão, morte e ressurreição. Podemos dizer que, embora não tivessem a certeza clara, eles estavam no caminho para isso.
Depois, Jesus diz que quem concedeu a Pedro saber disso foi Deus. É do Criador que vem a inspiração que capacita o ser humano poder reconhecer a presença divina em Jesus. Pedro só teve condições de saber isso porque se colocou para Deus, deixou-se tocar pela força divina. Por isso Jesus diz que ele é feliz. Feliz é quem se deixa inspirar pelo Espírito de Deus. Tem condições de perceber a presença divina, mesmo que ainda não tenha uma compreensão total.
Essa capacidade de se colocar para Deus é o que possibilitou Pedro ser a pedra sobre qual a Igreja é fundada. Nossa Igreja só pode existir se estiver fundamentada na fé de quem se coloca diante de Deus com abertura para a inspiração do Espírito Santo.
Uma Igreja com essa atitude consegue ser vitoriosa sobre as forças do mal.
As chaves do Reino dos Céus, que são símbolo do domínio e poder de condução da Igreja, são dadas por Jesus a quem permanece na atitude de abertura para a inspiração do Espírito Santo. A Igreja é terrena e formada por seres humanos. Mas, se essas pessoas que a conduzem se colocam em atitude de abertura à ação do Espírito Santo, podemos dizer que, no fim de tudo, quem guia a Igreja é o próprio Deus, agindo pelo Espírito Santo através dos homens.
No final do trecho, Jesus manda que os discípulos não revelassem ainda aos outros a sua identidade divina. Mais que simples precaução para evitar ser preso ou causar aumento da multidão que O seguia, a intenção de Jesus é de não antecipar uma divulgação que somente deveria ser feita após Sua ressurreição. Tudo deveria ser feito no tempo certo.

 

 

*Padre Guilherme da Silveira Machado é vigário paroquial na Paróquia de N. Sra. do Carmo, em Carmo do Cajuru.
Apresenta os programas Caminhada na Fé, toda sexta-feira, às 14:00 horas, na Rádio Divinópolis AM 720 e Momento Mariano, aos domingos, ao meio-dia, na Rádio Santana FM 96,9.

Notícias Relacionadas

11 set 20
04 nov 16
09 out 15
28 nov 14

Parceiros