×

Conteúdo

Comentário do Evangelho do 1º Domingo do Advento (Mc 13,33-37) - 30/11/14

sexta-feira, 28 de novembro de 14 às 07:00

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 33Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento.

34É como um homem que, ao partir para o estrangeiro, deixou sua casa sob a responsabilidade de seus empregados, distribuindo a cada um sua tarefa. E mandou o porteiro ficar vigiando.
35Vigiai, portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem: à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer.

36Para que não suceda que, vindo de repente, ele vos encontre dormindo.

37O que vos digo, digo a todos: Vigiai!”

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

 


Comentário do Padre Guilherme

 

Jesus explica sobre a necessidade da vigilância. No pequeno trecho o verbo vigiar aparece três vezes. É como um refrão, uma repetição que mostra uma insistência. É uma necessidade grande a permanência em estado de vigilância.


O dia final, a vinda do Senhor, é o dia pelo qual se espera desde os tempos do Antigo Testamento (Is 2,12; Jr 46,10; Zc 14,1). Quando será este dia é algo que somente Deus conhece.


A pequena parábola do homem que viaja, mas não sai sem deixar sua casa protegida é um convite à vigilância.

 

Jesus não dá informações a respeito de sua segunda vinda, sobre o juízo final ou sobre os sinais do fim. O que Ele deseja é fazer as pessoas entenderam que não se deve descuidar da vida de fé e da busca da santidade. Devido à fraqueza e limitação humana, existe sempre o perigo de se cair no pecado e de se relaxar com o esforço da conversão. Por isso, quem acredita deve permanecer alerta, vigilante.


Quando Jesus morreu e ressuscitou, muitos seguidores de Seus ensinamentos pensaram que o final dos tempos iria acontecer dali a pouco tempo. Assim, desistiam de continuar trabalhando, ou abandonavam as práticas religiosas, pensando que, se tudo iria acabar, não haveria sentido em continuar se esforçando. Entretanto, o tempo foi passando e o fim não chegava (e não chegou até hoje!). Assim, esse ensinamento de Jesus passa a ter mais valor ainda. Muito tempo se já passou desde a morte e ressurreição do Senhor. O tempo que estamos vivendo é de espera pela sua segunda vinda. Enquanto esperamos, é urgente permanecermos alertas. E essa espera não deve ser estática. É importante que a vigilância seja operosa.


A prática das boas ações, caridade, solidariedade. Vida de oração, busca da espiritualidade. Um pouco mais de desapego das coisas terrenas e mais apego às realidades espirituais. Assim é uma vida de vigilância ativa. Espera confiante pela vinda do Senhor. É preciso estar preparado para poder receber dignamente esta segunda chegada de Jesus.

 

__________________
*Padre Guilherme da Silveira Machado é vigário paroquial na Paróquia de N. Sra. do Carmo, em Carmo do Cajuru. Apresenta os programas Caminhada na Fé, toda sexta-feira, às 14:00 horas, na Rádio Divinópolis AM 720 e Momento Mariano, aos domingos, ao meio-dia, na Rádio Santana FM 96,9.

Notícias Relacionadas

13 nov 15
24 abr 20
17 mar 17
24 mai 19

Parceiros