×

Conteúdo

Comentário ao Evangelho do Domingo da Epifania do Senhor (Mt 2,1-12) - 03/01/21

quinta-feira, 31 de dezembro de 20 às 10:06

 

1Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, 2perguntando: “Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”. 3Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado, assim como toda a cidade de Jerusalém. 4Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer. 5Eles responderam: “Em Belém, na Judeia, pois assim foi escrito pelo profeta: 6E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo”. 7Então Herodes chamou em segredo os magos e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido. 8Depois os enviou a Belém, dizendo: “Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo”. 9Depois que ouviram o rei, eles partiram. E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino. 10Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. 11Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram. Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra. 12Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

 

Comentário do Padre Guilherme

 

Um dos principais assuntos do Evangelho de Mateus é o confronto entre Jesus e as autoridades daquele tempo. A chegada de um Salvador preocupava o rei Herodes, que estava entre os que temiam perder o poder para um novo líder.

 

Os sábios de terras distantes, querendo visitar o Messias, eram sinal que o Salvador veio para todos os povos. A estrela guiando esses forasteiros indica que na natureza, criação divina, há sinais da presença de Deus.

 

Após estar com Herodes, os viajantes seguiram guiados pela estrela. Chegando onde o Menino Jesus estava com os pais, ofereceram presentes comuns da região de onde vieram. Os presentes são sinais sobre a identidade e futuro do Menino: Ouro – realeza do Filho de Deus; Incenso – utilizado em momentos de oração, comunicação com Deus; Mirra – usada no preparo do corpo de falecidos, prefiguração da morte redentora.

 

O aviso em sonho aos magos, que não voltassem a Herodes, mostra a intervenção de Deus na história, para garantir a salvação.

 

Diferente de Lucas, Mateus não descreve o nascimento. Preocupa-se mais em afirmar que Jesus é o Salvador esperado. As profecias falavam do nascimento do Messias em Belém. chefes religiosos sabiam disso, tanto que informaram a Herodes, quando ele quis saber.

 

Essas profecias equiparam Jesus a Davi: cidade natal, descendência e missão de liderar o povo. A esperança era que Deus mandaria um messias tão bom como o rei Davi havia sido. Mas, Jesus não teve boa acolhida dos israelitas e sim de pessoas de origens distantes e outras religiões.

 

 

 

Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira.

Notícias Relacionadas

13 jun 20
25 abr 15
08 jan 15
05 mai 17

Parceiros