×

Conteúdo

Comentário ao Evangelho do 15º Domingo do Tempo Comum (Mt 13,1-23) - 12/07/20

sexta-feira, 10 de julho de 20 às 18:48

 

1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz. 7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. 8Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos, ouça!” 10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. 16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram. 18Ouvi, portanto, a parábola do semeador: 19Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. 20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento; quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo. 22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto. 23A semente que caiu em terra boa é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

 

Comentário do Padre Guilherme

 

Na parábola do semeador, Jesus ensina sobre a acolhida da palavra de Deus. A atitude do ser humano diante da comunicação divina pode levá-lo ou não à salvação. Uma escuta superficial e desatenta, somada à inconstância gerada pelas dificuldades da vida e pela fraqueza humana diante das tentações, pode impedir que a palavra de Deus frutifique na vida do homem. Só um coração atento, aberto e perseverante pode acolher o que vem do Senhor.

 

É necessário ouvir o que Deus diz sem ceder às fraquezas e tentações. E ter firmeza diante das dificuldades, sobretudo das perseguições. Na parábola, Jesus transferiu a atenção mais para os destinatários da semeadura que para o semeador. Deu importância à participação do ser humano no caminho da salvação.

 

Há, basicamente, dois grupos de ouvintes da palavra de Deus: o dos que não compreendem o anúncio por dificuldades, desconhecimento ou falta de interesse. E o dos que compreendem. No primeiro, a palavra ficará sem produzir fruto. No segundo, produzirá conforme a disposição.

 

Jesus costumava ensinar através das parábolas, que são uma forma de transmitir conhecimento através da comparação. E que exige dos ouvintes esforço do pensamento. Porque a salvação é um dom que deve ser conquistado.

 

Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira.

Notícias Relacionadas

08 nov 18
20 abr 18
21 ago 20
18 jun 16

Parceiros