×

Conteúdo

Comentário ao Evangelho do 12º Domingo do Tempo Comum (Mt 10,26-33) - 25/06/17

sexta-feira, 23 de junho de 17 às 00:00

Naquele tempo, disse Jesus a seus apóstolos: 26“Não tenhais medo dos homens, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido. 27O que vos digo na escuridão dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, proclamai-o sobre os telhados! 28Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno! 29Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. 30Quanto a vós, até os cabelos da vossa cabeça estão contados. 31Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais. 32Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. 33Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus”.

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.



Comentário do Padre Guilherme

 

Este trecho descreve Jesus instruindo os discípulos para a missão. A expressão “não tenhais medo” aparece três vezes. É um discurso de encorajamento, incentivando que eles fossem perseverantes, mesmo diante de forças contrárias. O medo das ameaças seria um dos maiores obstáculos à ação evangelizadora.


O primeiro convite é para que os discípulos não se intimidassem quando fossem ameaçados por pessoas que se colocassem contra sua missão. Embora esses adversários procurassem sempre agir de modo a não chamar atenção do povo para seus interesses egoístas, despistando, com mentiras, para que parecesse uma boa ação, nunca poderiam esconder nada de Deus. O anúncio deveria ser feito a todos abertamente.


O segundo chamado é de não temer nem mesmo a morte violenta. A fé para a qual Jesus convida é que, ainda que o corpo de alguém venha a sofrer pelas perseguições, podendo mesmo chegar à morte, se a alma estiver ligada a Deus, essa pessoa não será destruída. Os perseguidores podem tirar a vida terrena, mas não a vida eterna, que é a mais importante.


E o terceiro incentivo para conservar a coragem é o fato de que o Senhor nunca Se esquece dos Seus. A natureza mostra que Ele acompanha e cuida de tudo. Se providencia o sustento e a vida aos animais mais simples, muito mais o fará em favor daqueles que permanecem com Ele. E Jesus mesmo garante Se declarar a favor de quem for fiel.

 

Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira. Apresenta os programas Caminhada na Fé, toda sexta-feira, às 14 horas, na Rádio Divinópolis AM 720 e Momento Mariano, aos domingos, ao meio-dia, na Rádio Santana FM 96,9.

Notícias Relacionadas

15 jul 16
28 mai 16
13 set 14
13 nov 14

Parceiros