×

Conteúdo

Comentário ao Evangelho do 1º Domingo do Advento (Lc 21,25-28.34-36) - 29/11/15

sexta-feira, 27 de novembro de 15 às 15:00

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

25“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas.

26Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas.

27Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória.

28Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima.

34Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós;

35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra.

36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem”.

 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

 

 


Comentário do Padre Guilherme

 

Nesta passagem, Jesus fala sobre o futuro e sobre a ação final de Deus em relação à humanidade. Trata-se daquilo que acreditamos ser o final dos tempos. Não é possível calcular o tempo em que isso acontecerá. Mas essa ação divina derradeira virá antecedida por sinais perceptíveis: alteração da maneira de ser da natureza, com mudanças no jeito do sol, da lua e das estrelas, movimentações diferentes nas águas do mar... E a aparição de um personagem que é descrito como “Filho do Homem”. Trata-se de alguém que chega, em nome de Deus, para colocar as coisas em seus devidos lugares e estabelecer o tempo novo.


Ao invés de sentir apenas medo diante desses acontecimentos assustadores, as pessoas que têm fé são chamadas a manter esperança de que, para os que permanecem conforme a vontade divina, os sinais são também confirmação de que a ação libertadora de Deus dos males do mundo está se aproximando.


Hoje em dia, podemos entender como sinais dos tempos as alterações sofridas pela natureza, com o surgimento de situações que antes não existiam. Em alguns lugares falta chuva. Em outros, enchentes e fenômenos climáticos trazem consequências desastrosas... A própria alteração na maneira de agir do ser humano também pode causar surpresa. Muita gente gosta de dizer que tudo isso é sinal de que o mundo vai acabar e que o fim está próximo. Mas, no fundo, ninguém tem certeza disso. Porque observamos sinais na natureza e na vida, o tempo vai passando, e o mundo continua aí existindo.


O fim dos tempos demorar a acontecer não deve ser argumento para adiar nossa conversão. Talvez fosse mais interessante entender essa demora como ação misericordiosa de Deus que ainda dá chances de mudança de vida e de abandono do pecado, mesmo que o ser humano, às vezes, não mereça.


O alerta de Jesus é para o fato de que as preocupações desta vida, e algumas delas bem ligadas às nossas necessidades corporais, podem tornar o coração humano insensível aos sinais de que a conversão é necessária. Não sabemos até quando haverá tempo para endireitar nossa caminhada. Mesmo sem considerar a vinda do final dos tempos, ninguém pode deixar de pensar que nossa vida neste mundo é finita. De um jeito ou de outro, pela segunda vinda do Filho de Deus ou por nossa morte, o tempo que temos nesta vida irá terminar. Não é possível saber, com exatidão, o que acontecerá primeiro e nem quando. Esse não saber, mais os sinais que observamos na natureza e nas pessoas, são incentivo para buscar, o quanto antes, nossa conversão.


O caminho a seguir é o da vigilância e da oração. Não se distrair ou gastar tempo e energias somente com as preocupações terrenas. E também buscar forças e esperança na oração, que é capaz de promover milagres, como a conversão e a mudança de nossas intenções, sobretudo aquelas que estão ligadas ao pecado.

 

 

Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira. Apresenta os programas Caminhada na Fé, toda sexta-feira, às 14 horas, na Rádio Divinópolis AM 720 e Momento Mariano, aos domingos, ao meio-dia, na Rádio Santana FM 96,9.

Notícias Relacionadas

23 jan 19
16 mai 15
12 mai 17
04 nov 16

Parceiros