Recomendações do Bispo: Não basta um humanismo bom ou uma filantropia amistosa entre nós

Irmãos e irmãs, não basta um humanismo bom ou uma filantropia amistosa entre nós. O humanismo pode ser ateu. O Cardeal francês Henry de Lubac, no coração do século XX, apresentara a crise e “o drama do humanismo ateu”. Sem transcendência, nossas boas obras se perdem, nossa moral torna-se política de amizade e de interesses. O Cristianismo é muito mais que um humanismo, é muito mais que um jeito bom de viver. É uma via de salvação do homem todo e de todo homem! (da homilia da Missa Crismal de 2018)