Um certo jovem?

Certa vez, um jovem aproximou-se de Jesus e lhe perguntou: “Mestre, que devo fazer para ter a vida eterna”?

 

Ainda, hoje, esse mesmo questionamento ecoa nos corações humanos, especialmente para os que cultivam uma espiritualidade juvenil.

 

As respostas são dadas no cotidiano de nossa existência. Alguns buscam no hedonismo desenfreado as respostas para a sede de ser, e acabam frustrados. Outros, no consumismo, e, novamente, bate forte o vazio angustiante. Existem, ainda, aqueles que se enveredam pelos caminhos das drogas e dos vícios em geral, destroem a si e prejudicam os que estão próximos. Descaminhos que conduzem para a morte cultuada em nossa sociedade contemporânea.

 

Na passagem bíblica citada (Mt 19,16), o jovem ainda estava atado aos bens terrenos, enquanto o Divino Mestre o convida para os bens eternos, para uma vida nova. Colocar nossa confiança em algo que a traça corrói é dizer não ao projeto Pascal. É dividir-nos internamente.

 

O convite de Jesus é Boa Notícia e deve motivar cada jovem de nossa Comunidade Paroquial a dar uma resposta pessoal, buscando na terra as coisas do alto. O jovem e a jovem que é Igreja Católica deve fazer experiência Pascal escutando a Palavra plenamente vivenciada na Eucaristia.

 

A busca da vida eterna acontece no palco da vida. Nos diversos ambientes a opção praticada torna-se testemunho Pascal quando somos ponto de unidade e nunca de divisão.

 

Portanto, o caminho do desprendimento, da misericórdia, da gratuidade, do amor, são os caminhos de Jesus, e digo, com certeza, conduzem para a Felicidade de quem não centra em si, mas está no Caminho...

 

Qual tem sido a sua resposta?

 

 

Por Pe. Ailson de Oliveira Ceccotti